29 de novembro de 2016

[Resenhas] Hunter - O Caçador de Monstros, Kate Willians


255 Páginas

Sinopse

Não existem heróis, tampouco vilões.
Por trás de atos raivosos e atrocidades tenebrosas, há sempre uma verdade triste. Ninguém consegue mascarar a maldade que há dentro de si, por muito tempo. Hunter, O caçador de monstros, conta a história de Nicholas Blanco - um adolescente comum, com objetivos comuns e aparência mais comum ainda - que se depara com uma verdade surpreendente sobre seu passado e a confirmação que pode ser e fazer muito mais do que o que sempre imaginou para o seu futuro. Conta também a história de Ramon Blake, um jovem caçador no passado, que teve o amor de sua vida brutalmente arrancado de si e se deixou dominar pela dor e pelo ódio. Essa é uma história sobre caçadores que descobrem ser tão ou mais horríveis que as próprias criaturas que caçam.

Enredo

"Ninguém poderia impedi-lo. Uma vez, ele fora um garoto bom. Mas roubaram toda a sua luz, esmagaram o seu coração e comeram as migalhas e agora não existia mais nada de bonito nele. Não sentiria pena, não hesitaria."
Página 31

A trama se inicia com Ramon, um homem que após perder a mulher se torna frio e calculista em busca de vingança. Ele é um caçador, porém desintegrou-se do grupo por conta desse primeiro fator motivado pela interferência dos caçadores em sua vida pessoal. Para contemplar seu plano, ele busca alcançar o poder supremo dos caçadores e para isso precisa sacrificar três herdeiros dos três maiores clãs existentes e poderosos que possuem dons específicos, Os Blanco, Os Blake e Os Santos. 

"Aqueles pesadelos estavam me matando. Dormir já não me fazia relaxar, muito pelo contrário, me deixava exausto e por mais que a situação toda possa facilmente ser classificada como loucura, estes sonhos parecem querer me levar a algum lugar..."
Página 32

Por outro lado, temos a narração de Nicholas Blanco um garoto órfão criado pela tia na cidade de Nísia Floresta, Rio Grande do Norte. Lá ele se esforça para finalizar o ensino médio ao lado dos seus melhores amigos, Jason e Sara Blake, irmãos. Nicholas poderia ser considerado alguém comum, já que em seu grupo de amigos é o de aparência menos atraente e também menos popular entre os jovens, mas estranhamente ele convive com pesadelos relacionados a morte e a seres sobrenaturais que mais para frente serão revelados como seu diferencial. 


"Durante todos esses anos nada de realmente emocionante aconteceu a minha volta. Sempre me senti meio deslocado, como se estivesse perdido no tempo/espaço. Este nunca foi o meu lugar. Não é onde eu me sinto em casa."
Página 34

Tudo muda quando Jason propõe uma viagem ao Novo México em busca do seu pai desaparecido, era uma aventura fora da rotina corriqueira e sem graça do garoto por isso ele conta com a ajuda do amigo e também dos anfitriões do país de destino para conquistar material suficiente para convencer a tia de que a viagem é possível. 

"Está claro para você agora? Isso não é só uma viagem de férias, Nicholas. Isso aqui é o seu destino."
Página 73

Porém o rumo dos garotos mudam totalmente quando eles se vêm frente ao complexo de caçadores de Santa Fé, e não simplesmente caçadores de animais e feras selvagens, caçadores de monstros que acreditaram nunca existir. E como se não bastasse, Nicholas e Jason são submetidos a aulas e treinamentos relacionados a cultura dos caçadores juntamente com iniciados, visto que descobrem pertencer também a esse grupo e para suportarem a iniciação terão que fazer muito mais que sobreviver. 

Impressões

Esse foi o primeiro livro da Kate que eu li e como amo a temática sobrenatural foi o que mais me chamou atenção e posso dizer com certeza de que não me arrependi da escolha. Hunter é narrado em primeira pessoa pelo ponto de vista dos personagens principais, que eu não considero ser apenas um, pelo contrário, cada um deles revela um rumo e uma posição diferente dentro da história, além disso temos a visão em terceira pessoa de forma impessoal, o que permite avaliarmos as personalidades de maneira holística. E por mais que você acredite ficar perdido com tantos narrações em um mesmo livro, a autora surpreende com uma escrita fluída e compreensível, terminei sem qualquer dificuldade a ansiando por muito mais.

A cultura dos caçadores de Santa Fé foi construída de maneira exemplar e criativa, temos misticismo mesclado a realidade de seres humanos comuns que ao lidar com o poder revelam personalidades egoístas e ambiciosas tornando-se muitas vezes piores do que os próprios monstros que caçam, como Kate lembra na própria sinopse.

Os acontecimentos são atrativos e eletrizantes. Os personagens são construídos de forma realista, apresentam defeitos e qualidades, e apesar das descrições recheadas sobre eles a autora não torna a leitura cansativa, ao contrário disso, apreciamos cada detalhe e acredito que por isso que me identifiquei tanto com o modo que enxergavam a vida e a forma como agiam. Cheguei até mesmo a amar e logo em seguida odiar determinados personagens, por conseguirem transmitir verdadeiramente quem eram.

O livro faz parte de uma trilogia, onde o primeiro volume foi lançado pela Editora Coerência e os próximos tendem a ser lançados um por ano. Estou extremamente ansiosa pela continuação, o final foi um soco no nosso estômago e preciso sobreviver  para saber como aquilo termina.

Hunter é mais um dos nacionais que não perde em nada para a literatura estrangeira, por isso merece ser reconhecido e apreciado pelos leitores do mundo sobrenatural e por aqueles que desejam embarcar em uma aventura eletrizante com os caçadores de Santa Fé. 

Espero que tenham gostado pessoal, até a próxima!
Este

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ei obrigada por comentar, saiba que isso me deixa muito feliz.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...